O que é preciso para ter sucesso na Bolsa

Operar no mercado financeiro é um dos maiores desafios intelectuais existentes.

Escolher uma técnica para tomada de decisão objetiva, saber dosar a quantidade de risco necessário a ser alocado em cada operação e compreender nossos vieses psicológicos fazem parte do arsenal mínimo de posturas de um indivíduo que busque lidar com seriedade da sua atividade perante o mercado.

No entanto, a combinação desses fatores:

  • Garante a lucratividade a todos aqueles que seguirem?
  • Até que ponto a sorte está presente e é significante ao explicar o sucesso de um operador?
  • A habilidade individual é capaz de prever melhores resultados futuros?

É exatamente isso que vamos discutir neste artigo.

Sorte ou Habilidade?

Michael Mauboussin, no livro Equação do Sucesso, busca compreender a interação de habilidade e sorte nas mais diversas áreas. Nos negócios, esportes e até nos investimentos. Afinal, boa parte do que vivemos é uma combinação de sorte e habilidade. Deste modo, para iniciarmos a compreensão, o primeiro passo é definirmos o que cada uma conceitua:

  • Sorte é uma ocorrência ao acaso que nos afeta. Pode ser boa ou má. Algo que está fora de controle e é imprevisível.
  • Habilidade é a capacidade de usar o conhecimento eficiente e prontamente na execução.

O segundo passo é entender que algumas atividades permitem pouca sorte, como corridas, tocar um instrumento, jogar xadrez, memorização.

Nesses casos, quanto mais você pratica, mais habilidoso se torna.

Por outro lado, certas atividades incorporam grandes doses de sorte. Como o pôker e os investimentos. (É importante dizer que Mauboussin é Estrategista de Investimentos na Legg Mason Capital Management).

O ponto chave é que é muito difícil separar o que exatamente é explicado pela sorte e o que é explicado pela habilidade, pois no livro o autor alerta para o que os psicólogos chamam de tendência de auto atribuição:

Somos bons para nos enganarmos quanto ao nosso próprio sucesso. É comum atribuirmos o sucesso à nossa habilidade, mesmo em empreendimentos que são determinados mais pela sorte.

Parte da explicação é que nos vemos como agentes capazes. Podemos fazer coisas. Podemos fazê-las acontecer. Assim, presumirmos que nossa habilidade causa o que vivenciamos. Por outro lado, geralmente atribuíamos o fracasso à causas externas, incluindo a má sorte.

E quanto aos investimentos?

A abordagem que você usa para desenvolver uma habilidade depende de onde sua atividade se encontra. Para atividades que se dão em ambientes estáveis e nos quais a sorte exerce um papel menor, práticas deliberadas aumentam a habilidade.

Nesse cenário, é possível desenvolver especialização. Por exemplo, se você toca guitarra, seus licks, arppegios e tappings soarão melhor com o passar do tempo.

Se quer aprender a digitar melhor, pode reservar um tempo por dia para praticar e, com o tempo, seus erros desaparecerão. Rapidamente você consegue um feedback confiável e, quanto mais praticar, mais rápido ficará.

92% do aumento da habilidade é explicada pelo aumento das horas de estudo.

Se você quer fazer algo que requer habilidade, tem que praticar.

Nos jogos e nos investimentos, a sorte exerce um grande impacto no resultado final. É preciso estar exposto a ela.

Veja o gráfico abaixo, ele mostra em azul a variação do Ibovespa nos últimos 22 anos, +1100%. E, em laranja, a variação do mesmo Ibovespa, agora sem as 10 maiores variações positivas; no mesmo período, o retorno foi de 192%. Retorno 83% menor excluindo apenas as 10 maiores ALTAS!

Em atividades mais influenciadas pela sorte, você não tem feedback, pelo menos não no curto prazo. O que você faz não está tão atrelado ao resultado, assim, de acordo com Mauboussin, a melhor abordagem é focar no processo.

Deste modo, ao operar o mercado ou jogar poker, à medida que desenvolver habilidade, suas vitórias ainda variarão, porque o bom resultado é, em parte, explicada pela sorte.

Apenas 24% do aumento da habilidade é explicada pelo aumento das horas de estudo.

Como o bom processo gera uma probabilidade maior de bom resultado com o tempo, foque no processo!

Como melhorar o processo?

Se em atividades nas quais a sorte tem maior impacto do que a habilidade o ideal é focar no processo, qual seria a ferramenta adequada para documentarmos e melhor gerenciarmos nossa atenção?

Crie checklists

A maioria de nós não se detém aos erros. Ao criar listas e passos a passos a serem seguidos, somos obrigados a aceitar humildemente nossa falibilidade. Checklists reduzem o risco de se ignorar uma etapa importante no processo. Atul Gawande, no livro Checklist: como fazer as coisas benfeitas, dá dicas de como escrever listas eficientes.

Segundo Gawande, precisamos adotar um processo no qual confiamos e não nos preocupar tanto com o resultado individual (de cada operação em bolsa, por exemplo). Sua única chance de ser vitorioso no longo prazo é aderir a uma abordagem que possua expectativa matemática positiva e que você consiga executar.

Ao utilizar checklists, você facilmente verifica onde está errado. E ao perceber isso pode ajustar as velas.

Documente sua atividade

O feedback preciso é essencial na sua jornada de operador ou investidor no mercado. Melhorar sua habilidade, nesta área, significa procurar mudar constantemente por maneiras de mudar seu comportamento. Philip Tetlock, autor de Superprevisões, diz que:

“Uma técnica simples e barata de conseguir feedback é manter um diário que registre suas decisões. Sempre que tomar uma decisão, escreva o que decidiu, como chegou a essa conclusão e o que espera que aconteça. Quando os resultados aparecerem, compare com o que achou que aconteceria. O diário não mentirá.”

Adote um processo hábil

O próprio autor, como já disse, é estrategista de um grande fundo, indica que um processo hábil (independente da área) terá, necessariamente, três pilares:

  • Análise
  • Psicologia
  • Compreensão dos impactos externos

Interessante, não?

Precisamos utilizar uma escola de análise para tomar decisão, nos conhecermos para evitar que nossos desvios psicológicos nos impeçam de agir e precisamos controlar risco de maneira apropriada.

Conclusão

Conte comigo nessa jornada de autoconhecimento que você percorrerá ao operar o mercado.

Se você seguir esses passos, entenderá que nem sempre faz muito sentido passar horas na frente do computador, abrindo mão da sua saúde mental e física. Operar é um desafio intelectual imenso em que certas características como humildade, disciplina e persistência irão te colocar na direção certa.

Conte comigo para aumentar sua habilidade, na medida do possível, e esteja exposto à sorte.

Compartilhe este artigo nas redes sociais:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter