Um jeito simples de observar se o mercado está caro ou barato

Operar nos mercados é, definitivamente, em parte arte em parte ciência

Precisamos, sim, ter uma abordagem mais objetiva possível para responder questões triviais para um trader tomar uma decisão:

O que o preço precisa fazer para acionar uma entrada?

Se eu não tiver um argumento claro, qualquer coisa será sinal e ficaremos reféns dos nossos impulsos emocionais e facilmente atacados pelos nossos vieses.

Onde posicionar meu stop?

Sim. Um trader sério, que já passou da fase de deslumbramento, terá um critério para definir o seu ponto de stop. Afinal, é através da diferença entre o ponto de entrada e o stop que se mensura o RISCO a ser alocado na posição.

E meu Alvo?

Você encerra quando a posição? Quando você “sentir” que é a hora? Desculpe lhe tirar do mundo da fantasia. Você precisa ter uma metodologia para definir seu alvo. E isso precisa ser decidido ANTES, justamente para minimizar o impacto das nossas pressões emocionais.

Todas essas questões são básicas. É a partir da elucidação delas que você sairá do mundo da fantasia e será jogado no mundo real do Trading Profissional. Lógico que isso é um método. Um modelo operacional e, com o passar do tempo, você terá o seu.

O meu é o Método Vlad de Swing Trade. Agora, um ponto bastante importante, e que é útil para toda e qualquer abordagem, é responder a seguinte questão:

Quão distante da sua média o ativo está agora?

Essa questão é útil para várias metodologias, tanto para traders de rompimento (momentum) quanto traders contra tendência (mean revertion).
E para respondermos essa questão de maneira apropriada, precisamos tirar a tendência do preço do ativo. E isso se faz com um processo chamado de Detrending. É muito simples.

Veja a variação dos preços de RENT3 ao longo dos últimos 12 meses:

Olhando em retrospecto, é fácil dizer: “Ahh, aqui o mercado fez fundo e aqui o mercado fez um topo”. No entanto, à medida que evoluímos como traders, precisamos quantificar as questões. Torná-las objetivas e o menos visuais possíveis (o intuito disso é SEMPRE minimizar o impacto das nossas emoções).

É aqui que entra o contexto do Detrending. Ou seja, tirar a tendência do ativo. Para isso fazemos o seguinte:

  • Estimamos uma média MÓVEL do preço do ativo. Vou utilizar de 20 períodos, mas você pode utilizar o período que bem entender.
  • Estimamos a diferença entre o preço do ativo e essa média móvel.
  • Estimamos a média e desvio padrão da série temporal detrending gerada:

Veja que beleza. Temos uma série temporal sem tendência. Ou seja, através dela podemos ver quando o ativo está caro ou barato em relação à sua média de maneira bastante objetiva.

Sobrepondo os gráficos:

Ainda mais objetivo:

Ou seja, uma simples ferramenta que lhe mostra os afastamentos relativos médios do ativo da sua média.

Não estou dizendo que você deve usar isso amanhã como critério de trading! Teste e encontre as falhas dessa técnica. Há falhas e você precisa descobrir por conta. Isso vai garantir que você de fato vai estudar o que eu acabei de ensinar aqui.

Bons estudos e melhores trades.

Fábio Figueiredo / Vlad

Compartilhe este artigo nas redes sociais:

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on twitter
Twitter